Notícias
Capa » Críticas » Crítica | Resenha do filme A Viagem – Cloud Atlas
Crítica | Resenha do filme A Viagem – Cloud Atlas
Crítica | Resenha do filme A Viagem - Cloud Atlas

Crítica | Resenha do filme A Viagem – Cloud Atlas

Crítica | Resenha do filme A Viagem – Cloud Atlas, dos irmãos Andy e Lana Wachowski, mais conhecidos pela trilogia Matrix. Aqui eles fazem uma colagem de gêneros cinematográficos que se encaixam através de personagens que se encontram em momentos distantes da história humana. É fluido, complexo e filosófico como se esperava de um filme dos …

Nossas Notas

Direção - 8.5
Atores - 8.5
Roteiro - 9.5
Efeitos especiais - 8

8.6

Ótimo filme

Resumo: A Viagem - Cloud Atlas é uma montanha russa de percepções e filosofias, mas que não deixa nunca o ritmo baixar. É divertido procurar e tentar adivinhar quais os atores nos papéis representados, mas é, antes de tudo, diferenciado. Talvez não agrade o público em geral, mas é certeza de cinema de qualidade.

Dê sua nota: 4.62 ( 10 votes)
9

Crítica | Resenha do filme A Viagem – Cloud Atlas, dos irmãos Andy e Lana Wachowski, mais conhecidos pela trilogia Matrix. Aqui eles fazem uma colagem de gêneros cinematográficos que se encaixam através de personagens que se encontram em momentos distantes da história humana. É fluido, complexo e filosófico como se esperava de um filme dos irmãos Wachowski. O filme segue seis histórias que vão e voltam no tempo, com personagens que se cruzam, desde o século 19 até um futuro pós-apocalíptico, cada um deles narrador de sua história, de um simples viajante no Oceano Pacífico em 1850 a um jornalista durante o governo de Ronald Reagan na Califórnia.

Tudo está conectado.

Eu li o livro Cloud Atlas, de autoria de David Mitchell (somente em inglês), e me surpreendi com a complexidade da narrativa. Os saltos entre épocas e personagens são frequentes e muitas vezes só o percebemos depois de ler um bom trecho da troca temporal. É um romance de difícil leitura e assimilação, por isso me surpreendi quando os Wachowski anunciaram a adaptação. E a cada material divulgado eu era levado a acreditar que seria, sim, possível a transposição para o cinema de um livro tão recheado de meandros filosóficos, existenciais e, porque não, místicos. Espiritualidade, Teoria do Caos e até Carlos Castañeda são citados, além de influências de Neoshamanismo e Nova Era.

Crítica | Resenha do filme A Viagem - Cloud Atlas

Uma mistura de gêneros e uma fotografia eficiente são marca do filme.

O figurino, a fotografia simples porém eficiente e a maquiagem são responsáveis por tornar a mudança entre períodos históricos mais fluida. O filme salta através de seis épocas: do ano de 1849 onde acompanhamos uma história de escravatura até milhões de anos no futuro, 106 anos depois de um evento chamado A Queda, passando pelo ano de 1946 onde acompanhamos uma história sobre um amor homossexual proibido e a criação de uma obra-prima musical, então chegamos a 1973 em uma investigação jornalística sobre usinas nucleares na cidade de São Francisco, em 2012 com uma comédia sobre um grupo de velhinhos tentando fugir de uma casa de repouso e, enfim, em 2144, onde chegamos a cidade de Nova Seul, em uma ficção científica cyberpunk que conta a história de uma empregada de uma cadeia de restaurantes que acaba tornando-se a líder de uma revolução.

“Ser, é ser percebido.
E assim, para conhecer a si mesmo só é possível através dos olhos do outro.
A natureza de nossas vidas imortais, está nas consequências de nossas palavras e ações, que vão, e estão se esforçando à todo instante.” Frase de Sonmi-450 no filme

Crítica | Resenha do filme A Viagem - Cloud Atlas

Há momento divertidíssimos, como no núcleo do asilo para idosos.

É tudo muito bem costurado, o roteiro é inteligente e nos emociona, diverte e surpreende em uma montanha russa de emoções e percepções sobre a nossa existência. O filme é um vislumbre complexo sobre as conexões entre pessoas e como uma ação repercute através da eternidade.

Crítica | Resenha do filme A Viagem - Cloud Atlas

Tom Hankse  Halle Berry em cena do filme A Viagem – Cloud Atlas

Uma forma, que deu certo aliás, de tornar a transição mais sutil foi utilizar os mesmos atores nas diferentes histórias. Todos os atores, entre eles Tom HanksHalle Berry, Hugh Grant, Susan Sarandon, Jim Broadbent, Hugo Weaving, Jim Sturgess, Ben Whishaw, Keith DavidDavid GyasiZhou Xun eDoona Bae, estão em todos os segmentos da história, utilizando maquiagens surpreendentes e ousadas. No filme vemos orientais sendo transformados em ocidentais, negros em caucasianos, homens em mulheres e até um oriental negro há no longa.

Sinto que algo importante aconteceu comigo. Nossas vidas não nos pertencem, estamos conectados a outras vidas, no passado, no presente e no futuro.

Enfim, A Viagem – Cloud Atlas é uma montanha russa de percepções e filosofias, mas que não deixa nunca o ritmo baixar. É divertido procurar e tentar adivinhar quais os atores nos papéis representados, mas é, antes de tudo, experimental e diferenciado. Talvez não agrade o público em geral, mas é certeza de cinema de qualidade.

Adendo: Seguem algumas dicas da leitora Adelaide Ferreira Nishimura, que são muito úteis antes de assistir ao filme:

1) NÃO utilizar após noite mal-dormida.
2) NÃO ter a pretensão de entender todas as referências e as seis histórias em uma única vez.
3) Não se desespere, após 30 min. de exposição fica bem fácil acompanhar as idas e vindas no tempo.
4) Última recomendação: não saia antes do créditos finais, eles mostram quem interpretou cada papel, muitas surpresas.

Crítica | Resenha do filme A Viagem - Cloud Atlas

Sensibilidade, filosofia e espiritualidade se fundem na estória.

Sinopse de A Viagem (Cloud Atlas): O filme segue seis histórias que vão e voltam no tempo, com personagens que se cruzam, desde o século 19 até um futuro pós-apocalíptico, cada um deles narrador de sua história, de um simples viajante no Oceano Pacífico em 1850 a um jornalista durante o governo de Ronald Reagan na Califórnia.

Ficha técnica:
Diretor: Tom Tykwer, Andy Wachowski, Lana Wachowski
Elenco: Tom Hanks, Halle Berry, Hugo Weaving, Jim Sturgess, Susan Sarandon, Hugh Grant, Ben Whishaw, Keith David, Jim Broadbent, James D’Arcy, Götz Otto, Zhu Zhu, Doona Bae, Xun Zhou, David Gyasi, Alistair Petrie, Daniele Rizzo, Brody Nicholas Lee, Mya-Lecia Naylor, Louis Dempsey, Robin Morrissey, Raevan Lee Hanan, Valerie Lillibeth, Laura Vietzen, Lyly Schoettle, Charly Yoon, Korbyn Hawk Hanan, Liz Strange, Barry Van Lee, Alexander Yassin
Produção: Stefan Arndt, Grant Hill, Tom Tykwer, Andy Wachowski, Lana Wachowski
Roteiro: Tom Tykwer, Andy Wachowski, Lana Wachowski
Fotografia: Frank Griebe, John Toll
Trilha Sonora: Reinhold Heil, Johnny Klimek, Tom Tykwer
Duração: 172 min.
Ano: 2012
País: EUA, Alemanha, Hong Kong, Cingapura
Gênero: Drama
Distribuidora: Imagem Filmes
Estúdio: Anarchos Productions / Media Asia Films / X-Filme Creative Pool / Asacine Produções / Five Drops / A Company Filmproduktionsgesellschaft
Site oficial: cloudatlas.warnerbros.com

Crítica | Resenha do filme A Viagem – Cloud Atlas

Crítica | Resenha do filme A Viagem – Cloud Atlas, dos irmãos Andy e Lana Wachowski, mais conhecidos pela trilogia Matrix. Aqui eles fazem uma colagem de gêneros cinematográficos que se encaixam através de personagens que se encontram em momentos distantes da história humana. É fluido, complexo e filosófico como se esperava de um filme dos …

Nossas Notas

Direção - 8.5
Atores - 8.5
Roteiro - 9.5
Efeitos especiais - 8

8.6

Ótimo filme

Resumo: A Viagem - Cloud Atlas é uma montanha russa de percepções e filosofias, mas que não deixa nunca o ritmo baixar. É divertido procurar e tentar adivinhar quais os atores nos papéis representados, mas é, antes de tudo, diferenciado. Talvez não agrade o público em geral, mas é certeza de cinema de qualidade.

Dê sua nota: 4.62 ( 10 votes)
9

Sobre Leo Araújo

As palavras dos profetas estão escritas nas paredes do metrô e nos corredores das casas... E as artes estão impressas nas cores, sons e pessoas dos lugares por onde andei.

72 comentários

  1. Ao meu ver o filme esbarra em superficialidade e pretensão. As questões filosóficas, a existência e a subjetividade dos personagens são abordadas remotamente e não sustentam a veracidade dos segmentos (impossibilidade de adaptar os meandros literários da trama em um filme construído à velocidade da luz). Outro problema é o comprometimento da narrativa pela transição de gêneros. É irritante assistir um segmento dramático e emocional e, logo a seguir, adentrar outro com interpretações hilárias e situações cômicas. Ótimos efeitos especiais, cenários, paisagens e excelentes atuações não sustentam o truncamento do enredo. Speed Racer e Cloud Atlas são mais um tiro no pé de Andy e Lana (Larry após a mudança de sexo) Wachovski. Buscando filmes surreais, filosóficos e metafísicos consistentes, adentremos o universo de On The Silver Globe (Zulawski), Avalon (Mamori Oshi) ou The Holy Mountain (Alejandro Jodorowski). E sou prova cabal de adoração da trilogia Matrix, apesar dos inúmeros detratores. Passe longe de Cloud Atlas. Daniel Brasil – [email protected]

    • Crítica amarga. O filme é bom e a variedades de gêneros é legal, pois o interessante está nos múltiplos sentimentos que o filme consegue despertar.

      • Oi Valmir, eu gostei do filme! Até mesmo o elogiei! rsrsrsrs Brincadeira.
        Eu classifiquei A Viagem como “Ótimo Filme”, com nota 8,6. Acho que eles fizeram um bom trabalho, pois o livro é muito complicado de se interpretar. Mas o filme é bom sim.
        Abraços, e volte sempre!
        Leo

        • Paulo Ricardo Pertusier Fogaça

          O filme é uma viagem extasiante através do tempo. Não se pode adaptar um livro com todos os quebra cabeças nele existentes por causa da diferença que há em cada um em vislumbrar uma cena. um faria de um modo A, enquanto outro o expressaria de um modo B, e assim por diante. Mas o que atrai em Cloud Atlas é além da pretensão. O casal de irmãos deixou de lado toda a parafernália colorida de “Speed Racer” para utilizá-la somente no comércio futurista dos “fabricados”. Fora isso, toda a parte escrita por eles é muito bem colocado. Também tem o aspecto que “quebrou” um pouco o filme foi o orçamento. Vale lembrar que o filme não teve um orçamento trilhardário de outrora, mas mesmo assim, consegue prender a atenção em todos os ínfimos detalhes.
          Efeitos especiais de lado, toda a complexidade dos atores no tempo são algo digno de nota. Bonzinho em uma época, vilão em outra, sem expressão em outra mais adiante, a película torna interessante a parte do “Siga a estrela cadente”, presente singelamente no começo, tornando-se mais discreta durante o tempo. E a parte cômica lembra “Um estranho no ninho” mais espirituoso, e sua inclusão após uma parte emocionante serve como um colírio e um café quentinho, enquanto aguardamos os selvagens Kona ou a Unanimidade.
          De fato, eu não tinha visto um filme tão sinfônico assim desde “Fonte da Vida”, de Darren Aaronofsky. Recomendado a todos.

          • Olá, Paulo Ricardo.
            Muito bem colocado. E sim, o filme é uma viagem extasiante através do tempo. Eu li o livro que deu origem à adaptação e acho que o roteirista foi muito feliz na transposição de literatura para audiovisual. Se tornou muito mais fluido que as páginas do livro.
            Seja bem vindo ao Entremente e volte sempre!
            Abraços,
            Leo Nascimento

          • Olá, assisti ao filme e posso dizer que gostei muito, as viagens de cada personagem foi uma parte do filme muito bem tratada com as devidas características de cada um, não creio que o filme seja a mais pura realidade do que está para vir, mas tem detalhes muito bem escondidos, entre lugares, situações e principalmente nomes, tem muito misticismo nas entre linhas de cada cena, cada fala, somente quem conhece pode notar o recado que o filme transmite. Veja o filme farias vezes, note as cenas futurísticas, o motivo pelo qual existe a rebelião liderada pela empregada da rede de restaurantes, no filme o romance se mistura com ficção, tragedias e filosofia. Gostei e entendi o recado. O filme é merecedor de boa nota, “O que aconteceu, o que está acontecendo e o que acontecerá, já está determinado.

    • Amigo, não sei se você assiste os filmes com um tablet na mão ou se entrega ao ver. Eu particularmente gosto de me entregar ao ver o filme e vivenciar os papeis aos quais estou vendo. O filme desperta muitos sentimentos e vários pensamentos aos quais ficam adormecidos em nossas mentes! É um filme muito bom e que sinceramente não merece nem uma letra dessa sua crítica ” PROFISSIONAL ” A QUAL tenho certeza de que os produtores que por sinal fizeram um trabalho maravilhoso estão ” CAGANDO “.

  2. Olá Daniel. Em primeiro lugar seja bem vindo ao Entremente. A maior obra dos irmãos Wachowski foi The Matrix. Apesar de muito contestadas, eu gosto muito das duas sequencias. Mas desde então eles realmente perderam a mão. No caso de A Viagem (Cloud Atlas) creio que eles escolheram a fonte errada para adaptar, pelo menos agora. A trama do livro é confusa e a narrativa perde-se várias vezes. A adaptação para o cinema conseguiu juntar tudo melhor que na versão literária. Mas realmente as mudanças de ambiente, época e gêneros é muito constante, não nos permitindo assimilar cada momento.
    Parabéns pelo texto, e volte sempre! :D

  3. É dificil ver como as pessoas geralmente se apegam a superficialidade visual de Speed Racer, e não aproveitam a perfeita transposição da linguagem arte sequencialista japonesa para o cinema, o dominio da lingaugem cinematografica que emula perfeitamente a leitura até de um Osamu Tezuka, fora a profundidade trabalhada no roteiro que e nos dialogos de maneira autruista e maravilhosa mantendo o espirito da obra original. Lamento toda a vez que as pessoas rechaçam essa obra dos Irmãos.

  4. Olá, Logan. Em primeiro lugar seja bem vindo ao Entremente.
    Creio que o maior problema que houve com o filme Speed Racer é o mesmo mal que aflige tantas outras produções do cinema moderno: a expectativa exacerbada. Quando isso acontece deixamos de enxergar o filme como uma experiência áudio visual a ser analisada e passamos e enxergar apenas os defeitos. Speed Racer tem problemas? Sim, tem. Mas é entretenimento, diversão, e um experimento dos irmãos Wachowski. Não o vejo como mais ou como menos.
    Aliás vocês estão de parabéns nos comentários. Se tem algo que me orgulho muito é a forma educada e sábia com a qual vocês explanam seus pensamentos e opiniões.
    Volte sempre, Logan.
    Abraços,
    Leo

  5. Adelaide Ferreira Nishimura

    Filme imperdível, mas tem ler as instruções antes de usar.

    1) NÃO utilizar após noite mal-dormida.
    2) NÃO ter a pretensão de entender todas as referências e as seis histórias em uma única vez.
    3) Não se desespere, após 30 min. de exposição fica bem fácil acompanhar as idas e vindas no tempo.
    Gostei de todas principalmente a de 2144, última recomendação, não saia antes do créditos finais, eles mostram quem interpretou cada papel, muitas surpresas.

    • Ótimas dicas, Adelaide. Posso incluí-las no post? Acho que será muito útil aos leitores :D
      Volte sempre ao Entremente!
      Abraços, Leo

      • adelaide Ferreira Nishimura

        Pode sim, muita gente está deixando de ver o filme por causa das criticas negativas o que é uma pena pois esse tipo de filme funciona melhor na telona, gostei bastante do site depois comento mais.

    • As dicas da Adelaide sao otimas, mas eu as li apos assistir o filme, mas mesmo assim recomendo.
      O filme é otimo , após ter a paciencia , nas idas e voltas ao tempo, pra se fazer entender, mas depois as historias começam a ter um sentido. O filme se torna interessante, e as mensagens ditas atravez dos personagens, nos fazem refletir sobre momentos , de nossa propria historia de vida. VALEU!

  6. Gostei das Dicas da Adelaide!
    Pude verificar na pratica hoje que elas são úteis.
    Pena que assisti o filme antes e li as dicas depois.
    No geral gostei do filme. Não entendo muito de Cinema, mas sou “Consumidor” e sei quando é bom.
    E gostaria de Parabenizar pelo site! Se me permite, acompanha-lo-ei.
    Leo: você tirou onda!

    • Bem vindo, Herbert! Em primeiro lugar, obrigado pelos elogios:D
      Eu também gostei das dicas da Adelaide, foram bem pontuais e tenho certeza que ajudarão que for assistir.
      É claro que pode acompanhar tudo no Entremente. Ele é feito para vocês!
      Abraços e volte sempre!
      Leo

  7. Assisti o filme ontem , logo após assistir Lincoln . Deveria ter pego mais leve. No caso do Lincoln , vou ter que estudar um pouco de historia americana para tapar os buracos , já no caso de A Viagem acho que tem tudo para se tornar um cult . Estou lendo as críticas desse filme e não li nada sobre as citações cinematográficas e deja vus que eu vi no filme . Em algumas cenas , parecia estar assistindo outro filme e cito alguns :A Lista de Adrian Messenger , Alta Ansiedade, No Ano de 2020 , Blade Runner , Millenium , Síndrome da China , Fuga do Seculo 23 , Shaft e alguns outros que não me lembro agora . Será que eu estou viajando ?

    • Olá Wlado! Bem vindo!
      Eu notei algumas referências que você citou: Alta Ansiedade de 1977, Síndrome da China e Shaft. Não acho que a parte futurista remeta a Blade Runner, mas cinema é isso: “experiência e percepção individuais”.
      Abraço e volte sempre!
      Leo

  8. É o pior filme que já assisti, chato, não consegui identificar a ligação entre as épocas e o final é rídiculo. 3 horas de pura enrolação. Não percam tempo assisitindo.

    • Vixi! Acho que você deveria ter lido as dicas da Adelaide aí em cima…
      :D

      • Realmente, pior filme q já assisti na vida!
        Odeio filmes q a pessoa só entende se tiver lido o livro…um autor não se pode basear nisso…foram dinheiro e 3 hrs perdidas da minha vida! Todo mundo no cinema criticou, muitos foram embora antes de terminar (eu infelizmente vi até o fim). E me desculpem, mas quem assiste um filme de 3 horas, que só vai entender algo nos créditos? aff, mta viagem esse filme, o nome já diz tudo!

        • Oi Alessandra. O cinema é assim mesmo. Algumas produções são maravilhosas para alguns, enquanto são péssimas para outras. Eu por exemplo achei muito bom o filme Prometheus (sei, vão me xingar rsrrs). Arte é percepção, e cada um tem a sua. Não há errada, ou certa. E para falar a verdade esse tipo de filme realmente instiga essa discussão.
          Seja bem vinda! :D

  9. Alguem sabe aquela frase quase no final do filme que a Sonmi-450 fala?

    • Olá Grabrielle,
      A Sonmi-450 tem “algumas” frases”. Bom, vamos a algumas que eu sei:

      “Ser, é ser percebido.
      E assim, para conhecer a si mesmo só é possível através dos olhos do outro.
      A natureza de nossas vidas imortais, está nas consequências de nossas palavras e ações,
      que vão, e estão se esforçando à todo instante.”

      “Quero dizer que sempre o amarei.
      Nossas vidas não são nossas próprias.
      Do útero ao túmulo, estamos ligados à outros.
      Passado e presente.
      E pra cada crime e cada bondade,
      renasce nosso futuro.”

      É alguma dessas?

      • Fico triste em só ter lido esses comentários após ver o filme…O ideal é assistí-lo acompanhada de quem compreenda as referências que o filme traz ou então vê-lo sozinha. Fui acompanhada de quem foi com expectativas, faziam comentários o tempo todo pois o povo ficou tão impaciente que não me deixaram ver os créditos finais… E não puderam compreender a riqueza das frases de Somni-450 ou até algumas referências mais sutis. Muita gente que disse que passaria longe…Bem, eu vou assistí-lo outra vez. Além do espiritismo a que outros elementos elas fazem referência?

    • Outra frase:

      Agente: “Isso significa que você acredita em vida após a morte?
      Nada de Paraíso ou inferno?”

      Sonmi-450: “Eu acredito que isso é só uma porta.
      Quando ela fecha, outra se abre.
      Se eu não consigo imaginar o paraíso,
      Eu iria imaginar uma esperança completa.
      E atrás dela,
      Encontrarei ele lá, esperando por mim.”

  10. Assisti o filme e gostei muito.
    Gostei pela complexidade da história, a ligação entre elas e de como o paradigma da vida após a morte é tratada.
    Uma grande jogada foi utilizar os mesmos atores em papeis diferentes nas 6 histórias contadas.
    As dicas da Adelaide são muito válidas e dou outra, primeiro veja o filme, depois leia as criticas, pois são opiniões de outras pessoas e muitas vezes não se igualam em nada com as suas.
    Leo, parabéns pelo site, não conhecia até este filme, mas agora sempre vou acompanhar.

  11. O filme é uma verdadeira catequese espírita e teosófica. Para quem não adere a tais ideias, a Viagem parece muito mais uma Viagem do Roteirista, regadas ao “cha do Santo Daime” (olha que o chá existe e comprovado seus efeitos alucinógenos). Para quem não acredita em reencarnação é um filme que chega absurdo “tântrico”. Quem sabe Gaibles tem razão. De tanto falar uma versão não verdadeira, a mentira vira verdade. ne?!

  12. Com todo respeito aos que gostaram do filme. Pra mim, tudo isso poderia ter sido mostrado de uma forma melhor, que não fizesse muitos desistirem na metade, ou antes!

  13. Novo sistema de comentário no Entremente

  14. Boa tarde a todos!

    Sou novo por aqui e sou somente um “consumidor” de filmes como colocado pelo Hebert Thomas. Gostei muito do filme, principalmente da trasnposição entre as 6 (seis) histórias. Contudo não consegui enxergar a evolução de um assassino a um herói, como colocado em vários comentários e sinopses que li sobre este filme.

    Entendi que a “alma” principal é a marcada pela estrela cadente e pelo núcleo que a cerca… Amor, amizade, o mal… etc.

    Bem como tive certa dificuldade em entender a transposição entre 1973 a 2012, pois os marcados com a estrela (Luisa Rey e Tim Cavendshi) teriam idades incompatíveis…

    Assim… Se algum dos participantes deste site que com certeza, tem mais conhecimento cinetográrfico que eu, puderem me auxliar eu agradeço!

    Abraço e obrigado!

  15. Realmente gostei de encontrar ao menos mais uma crítica brasileira sobre Coud Atlas(são três até o momento) com o mínimo de fundamentos.
    De fato, quando encontrei essa matéria ainda não havia assistido-o e de certa forma ele me gerou uma expectativa sobre o desenvolvimento do filme. Certamente que ele superou qualquer expectativa.
    Um ponto forte eu diria que foram as magnificas imagens e efeitos de cada estória, por serem épocas com uma boa diferença de tempo e mais de um diretor idealizando, gerou uma miscelânea, que levando em conta o orçamento constrangedor, fez milagre, seis belos milagres. Sem contar, claro, um enredo totalmente filosófico e transcendental, mas acima de tudo muito humano, onde a maioria dos protagonistas conseguiram passar cada qual sua mensagem própria e de ligação partilhada por todos.
    Mas o foco principal deste comentário é em criticar as resenhas brasileiras que encontrei pela internet. Em sua maioria pareceu-me que estavam mai preocupados em criticas os detalhes “anti-cristãos” sem parecer preconceituoso do que sobre o próprio filme em si. Diria que o pior e sequer parece ter visto o filme pelos erros grotescos sobre o enredo foi o divulgado pela conservadoríssima R7, mas isso não elimina outros grandes sites do meio que pareceram se importar mais com os detalhes espíritas e a cirurgia de mudança de sexo de um dos diretores do que com o próprio filme. Aqueles que melhor “julgaram” o filme foram se dúvida o site poses e neuroses e o Cine com Rapadura, além deste no qual comento.
    Coud atlas é um tipo de filme e livro extremamente interpretativo, que lembrou-me particularmente nesse sentido de sucker punch, onde você pode assisti-lo (ou lê-lo) cem vezes e nestas cem vezes você terá uma percepção diferente, um detalhe não notado, uma ligação ligeiramente adicionada para que os mais atentos notassem. Imagino que no livro isto seja mais bem notável, mas o desenvolvimento de cada personagem por cada estória seguiu uma trajetória de personalidades que de certa forma criou uma linha evolutiva singular e deveras “humana”.
    Em resumo, um filme que você nunca irá assistir novamente, pois a esta situação se encaixa a ideia de Heraclito de que nunca entramos num mesmo rio assim como nunca assistimos o mesmo filme. Ambos sempre estarão diferentes, assim como nós mesmo.

    • Obrigado, Anna! Xará da nossa Aninha.
      Em primeiro lugar seja bem vinda ao Entremente, e obrigado pelo elogio :D. É como eu disse para a Alessandra, cinema é percepção, e nossa maneira de reagir a um estímulo a nossa percepção é diferente a cada momento de nossa vida. Se gostamos ou odiamos é questão de gosto e momento.
      Obrigado pelo ótimo texto e volte sempre! ;)

    • “A Lógica tradicional afirma que o ser é idêntico a si mesmo e exclui o seu oposto (principio da identidade e de contradição); ao passo que a lógica sustenta que a realidade é essencialmente mudança, dever, passagem de um elemento ao seu oposto.”Devid hume

  16. …e de cada crime e cada ato generoso nosso nasce nosso futuro.

    Ótimo filme.

  17. Eu acompanho e assisto cinema desde que me entendo por gente. E há algo que aprendi nessa caminhada com pessoas que amam essa formad de arte: Um filme não é para ser entendido, é para ser experimentado. Não estou dizendo que o filme A Viagem é bom, ou ruim. Só estou dizendo que um filme que explica tudo não significa ser um filme bom.
    Essa é a minha opinião.

  18. A história é maravilhosa….mas achei uma gafe um crítico trocar mas por mais!

  19. Olá, Marina. Seja bem vinda!
    Onde você viu a troca de palavras?
    Eu, sinceramente, não encontrei tal troca.

  20. As dicas da ADELAIDE, são de grande valia, mas como outros comentaram tambem as li após assistir o filme. Mas mesmo assim recomendo, gostei muito, e muitas frases, pensamentos , ditos no decorrer das histórias fazem-nos pensar em nossas atitudes nos dias de hoje. Sei que é um filme no inicio de falta de compreensão onde exige um pouco de paciencia para entender suas idas e vindas , mas no decorrer vale a pena. RECOMENDO.

  21. As pessoas não conseguem se agradar de um roteiro inteligente, ficam preocupadas com as 3 horas de filme, não são capazes de entender as ligações que sinceramente não é preciso ser espirita pra entender, se preocupam mais com os efeitos especiais. Achei o filme maravilhoso!! Muito inteligente, quem realmente gosta de cinema vai entender que o filme vai além. É uma pena que deixem de ir ao cinema pela crítica negativa.

  22. eu ASSISTI E GOSTEI. O ENTRELAÇAMENTO ENTRE O PRESENTE, PASSADO E FUTURO MOSTRA FORTEMENTE UMA ESPIRITUALIDADE NAS SEIS HISTÓRIAS.

  23. É um filme bastante complexo e cansativo mais, acabou se tornando bastante atrativo…. É realmente uma VIAGEM entre passado, presente e futuro…

  24. ele segue a mesma linha do filme “mister nobody (2009)”?

  25. Não tenho formação para criticas de filmes, não tenho tamanho conhecimento, porém também não sou cozinheiro profissional qualificado. No entanto adoro filmes, adoro comidas, adoro comer. E em ambos ficam questões parecidas, onde fazem referencia ao paladar, a preferência, ao momento, a opniões entre outras. Por tanto, filmes não são ruins, ou são bons, eles simplesmente agradam a alguns por estar de acordo com agrado, preferência, intelectualidade, momento de espirito, paladar, igualmente a iguarias. Assisti ontem a esse filme, e os primeiros 30 momentos foram cansativos, entendi pouca coisa, mas com o passar da trama, das transições fui pegando gosto pela nova experiência, comecei a gostar do filme justamente por não estar entendendo muita coisa, abri a mente e passei a simplesmente assistir, sem expectativa, apenas assistir e nesse momento em diante o filme me ganhou. Comecei a seguir a estrela cadente, comecei ouvir a Sonmi 450, a observar comportamentos dos personagens que seguem soberba, luxuria, gana, até mesmo por luta de um ideal, perseverança, racismo e etc… Se o filme é bom??? Me agradou, me atiçou a curiosidade, me aguçou a ter mais conhecimentos sobre a esperitualidade, sobre as ações e posturas que adotei hoje, e o que poderão afetar no meu amanha. Detalhe, tudo isso num filme onde quase me convenceram a não assisti-lo por ser “cansativo e confuso” assim dito aos que assistiram e me falaram a respeito. Entre tantas dicas que deram, aconselho que antes de mais nada, vá, mas vá sabendo que é um filme critico, são 3hs de uma super produção de adaptação de um livro cujo qual já é de tamanha complexidade. Desfrutem, experimente, apostem no que ele trás de informação, e bom filme a todos.

  26. Acabei de assisti e achei brilhante a forma com que foi trabalhada as passagens pelo tempo. É uma viagem, mesmo!!!!
    Assisti degustando. Fazendo paradas para refletir sobre as frases de impacto que surgem a todo instante.
    Aqui a resenha foi bem feita e detalhada. Parabéns!!!

  27. Acabei de assistir e achei brilhante a forma com que foi trabalhada as passagens pelo tempo. É uma viagem, mesmo!!!!
    Assisti degustando. Fazendo paradas para refletir sobre as frases de impacto que surgem a todo instante.
    É óbvio que cada um tem preferências de gêneros e uns são mais experts em se tratando da ARTE CINEMATOGRÁFICA, mas eu, como uma expectadora sem formação técnica absorvi cada momento, uns apresentando mais sensibilidade diante dos acontecimentos, outros mais desapegados.
    Na verdade o filme mostra a montanha russa que é a vida, independente de filosofias ou não.
    A vida é isso mesmo – uma sequência de fatos que vem e vão através de um tempo que nós imaginamos de uma maneira, mas ele pode ser arranjado de outra forma inconcebível para tantos…

    A resenha é ótima!!!

  28. Mostrar um filme, subdividindo ele em várias partes e cenas diferentes, muito bom para pensar e comentar um pouco. Indico este filme

  29. Eu indico fortemente este filme. Mas não o recomendo aos espectadores de BBB.
    É certo que cada um pode interpretar um filme de diferentes formas e cada interpretação é singular, pessoal. Mas em se tratando do conteúdo trazido por essa estória, é muito desejável que se tenha conceitos de antropologia e filosofia (para não citar outros). Isto é, a bagagem conceitual que cada um traz consigo é determinante para a interpretação de um filme, principalmente um que exige reflexão constante do espectador.

    Compartilho das dicas da Adelaide. Este não é um filme para ser visto uma única vez. Sugiro também que programe-se para não ser distraído durante o filme pois ele requer atenção e recordações constantes daquilo que foi mostrado nos últimos 10 minutos.

  30. Simplesmente espetacular. Um filme para poucos… ex-ce-len-te!!!!

  31. Estava ansioso para ver uma crítica em alto estilo. E, por sorte encontrei este site que elucida muito bem os pontos obscuros e contraditórios que causam tal Filme.
    Um filme que nos faz refletir sobre nossos atos e omissões, para o bem ou para o mal. Ainda mais na sociedade atual que estamos inseridos, que cada vez mais nos encontramos distantes de sermos os autores principais da jornada vida, em detrimento de sermos meramente espectadores do teatro social, que nos faz superficiais, nesse sistema capitalista selvagem (excludente por natureza), que retrata o filme de forma indireta, a meu ver nas orientais, que são submetidas a tratamento desigual, e sucateadas no final de suas vidas, onde não servem mais para o sistema e, vão “felizes” atrás de sua “libertação”, que na verdade é o fim de seus dias.
    O filme dá um leque de opções para interpretações diversas, e achei interessante um dos comentários que se formos assistirmos novamente não será o mesmo filme, palavras de Anna: “um filme que você nunca irá assistir novamente, pois a esta situação se encaixa a ideia de Heraclito de que nunca entramos num mesmo rio assim como nunca assistimos o mesmo filme. Ambos sempre estarão diferentes, assim como nós mesmo”. Parabéns pelo sítio, e um filme espetacular que assitirei novamente, ops irei vê-lo pela primeira vez. Abs

  32. Oi Pessoal!
    Gostei da produção. as idas e vindas no tempo retrata a história de cada um de nós. Os efeitos, a fotografia, beleza…
    Baixei e vi em casa, recomendo.
    Beleza de site, parabens…

  33. tava na duvida se tinha entendido o filme, depois de ler algumas criticas descobri que sim hehehe

  34. O filme não tem nada de religião, nada de espiritualista, nada de budismo. Se no livro fala, ai são outros quinhentos! Mas o filme é insuportavelmente chato e … CHATO! Ruim, péssimo. Assista para ter uma opinião mas acho que para a maioria que não “viaja na maionese” é um filme HORRÍVEL.

  35. Filme que contem um elenco estelar, não dúvidas. Orçamento milhonário, grandes atuações, mas, assim como publicou o jornal inglês, de grande repercussão mundial, “The Guardian”: “traz todas as marcas de uma grande insensatez e todos sem familiaridade com o livro ficarão perplexos”. Ou seja, tenho certeza que muitas pessoas que não leram o romance cult “Cloud Atlas” ficaram confusas e frustradas com o filme.

    Confesso que dormi no cinema vendo esse filme, tenho que declarar mais alguma coisa?

    Um abraço Leo, parabéns pelo ótimo trabalho!

  36. Filme que contem um elenco estelar, não dúvidas. Orçamento milhonário, grandes atuações, mas, assim como publicou o jornal inglês, de grande repercussão mundial, “The Guardian”: “traz todas as marcas de uma grande insensatez e todos sem familiaridade com o livro ficarão perplexos”. Ou seja, tenho certeza que muitas pessoas que não leram o romance cult “Cloud Atlas” ficaram confusas e frustradas com o filme.

    Confesso que dormi no cinema vendo esse filme, tenho que declarar mais alguma coisa?

    Um abraço Leo, parabéns pelo ótimo trabalho!.

  37. O filme trata diversos assuntos: física quântica, filosofia, existencialismo, tempo x espaço, outros mundos, presente/passado/futuro, espiritualidade, misticismo, ateísmo, credulidade, ideologia, fé, razão e por fim um demônio preocupado em promover a fé-mito(QUE PARADOXO)

  38. Ana Cláudia Oliveira

    O que posso dizer, diante de tantas palavras, foi que ao término tive uma torrente de emoções. Chorei muito, muito mesmo. Mas tudo isso está relacionado ao que eu creio não apenas no que li, mas no que vivi e senti mesmo sem estudos sobre essas tantas áreas que se entrecortam, completam-se e confirmam um sentimento existente, porém misterioso e desconhecido.
    Os estudos posteriores fizeram-me ratificar tudo o que em mim já existia e na certeza de que lutar por aquilo que acreditamos vale a pena, mesmo que aparentemente sejamos “uma gota no oceano”.

  39. Show de efeitos especiais, frases de impacto, grandes atores, resultado = ótimo filme

  40. Fantástico !!! conceitos de física quântica…pnl…teorias das cordas….bem agrupados e conectados passado presente e futuro….realmente uma viagem. gostei muito

  41. Um filme para Poucos.
    e eu sou um desses poucos.

    :)

  42. Assisti o filme seis vezes, e confesso que a complexidade mim incomodava no inicio, mas percebi que se desfaz ao longo do desenrolar da história é simplismente surpriendente! Adorei o filme! Gostaria de encontrar títulos cinematográficos com conteudos filosóficos semelhates.

  43. adorei o filme pois ele leva o mais fervorozo cetico a reflexão existencial.

    “A Lógica tradicional afirma que o ser é idêntico a si mesmo e exclui o seu oposto (principio da identidade e da contradição); ao passo que a lógica sustenta que a realidade é essencialmente mudança, dever, passagem de um elemento ao seu oposto.” DEVID HUMER

    • filme complexo interessantíssimo, surpreendente e inteligentíssimo,cada vez que o assisto tenho uma percepeçao diferente e descobro detalhe que não tinha visto antes,,,o filme é enorme é sim mais vale a pena cada segundo assistindo-o são seis historias em épocas diferentes é um vai e vem danando aguçou minha curiosidade é envolvente qnd me vir estava deslubranda de como as historias contadas algumas delas pode ser real te faz repensar algumas atitules te faz refletir são a realidade que vivemos no tempo de hoje…

  44. filme complexo interessantíssimo, surpreendente e inteligentíssimo,cada vez que o assisto tenho uma percepeçao diferente e descobro detalhe que não tinha visto antes,,,o filme é enorme é sim mais vale a pena cada segundo assistindo-o são seis historias em épocas diferentes é um vai e vem danando aguçou minha curiosidade é envolvente qnd me vir estava deslubranda de como as historias contadas algumas delas pode ser real te faz repensar algumas atitules te faz refletir são a realidade que vivemos no tempo de hoje…

  45. Perdi 2hs53m da minha vida! Filme péssimo…

  46. Uma verdadeira viagem, pensar e repensar o presente o passado e o futuro e acreditar que cada ação, ética, moral como matar, trazer a verdade a tona, é interligada a outras vidas em si mesmas, determinado outras vidas, muitas possibilidades.Vi duas vezes o filme e verei mais. E amigos " um oceano é formado de muitas gotas".

  47. Filme sensacional ! agora se passar na tela quente , ninguém vai assistir, pessoal gosta de coisa ruim, e como dito no enunciado, que por sinal muito bem escrito… é um filme para poucos (Inteligentes) se vc gosta de novela, esqueça o filme! Você não vai gostar!

  48. Filme sensacional ! agora se passar na tela quente , ninguém vai assistir, pessoal gosta de coisa ruim, e como dito no enunciado muito bem escrito… um filme para poucos (Inteligentes)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top