Notícias
Capa » Resenhas » Séries | Resumo de American Horror Story: Coven | S03E01 – Bitchcraft
Séries | Resumo de American Horror Story: Coven | S03E01 – Bitchcraft
A série retorna com sua característica qualidade

Séries | Resumo de American Horror Story: Coven | S03E01 – Bitchcraft

Séries | Resumo de American Horror Story: Coven | S03E01 – Bitchcraft. Em seu retorno a série apresentou, já em seu primeiro episódio a que veio. Uma fotografia absurdamente linda e eficaz, uma direção precisa e uma trama bizarra, chocante e com cenas escatológicas. Elementos que já vimos antes nas temporadas anteriores da série, mas que foram usados muito eficientemente neste começo de temporada.

Nossa entrada nesse assustador mundo das bruxas é facilitado pela personagem Zoe, interpretada por Taissa Farmiga, que volta à série desde a primeira temporada. Amaldiçoada para somente fazer sexo após o casamento, ela é possuidora do poder de matar qualquer homem com quem tiver relações sexuais. Sendo assim é enviada para a Academia da Sra. Robichaux para Moças Excepcionais para reduzir a sua capacidade mística, ou pelo menos aprender a controlá-la. Nós também temos na tal escola Nan (Jamie Brewer, também fazendo sua primeira aparição desde a primeira temporada), uma clarividente; Queenie (do filme Preciosa), que nada mais é do que uma “boneca Voodoo humana” em suas próprias palavras; a estrela de cinema Madison (Emma Roberts), que possui o poder da telecinese, que remete à “Carrie” de Stephen King. Completando o grupo, temos a diretora Cordelia “Delia” Foxx, interpretada por Sarah Paulson e, como sua mãe e bruxa reinante “Suprema”, Fiona, vivida pela ótima Jessica Lange.

Também de volta estão Dennis O’Hare (True Blood) como Spalding, um servo literalmente sem língua que parece ser o único homem sobre a casa até agora, e Evan Peters (Kick-Ass), mais uma vez fazendo o potencial interesse amoroso da personagem de Farmiga, apesar de ele acabar morto pelo final do episódio, pelo menos por enquanto. Quem estreia na série é a vencedora do Oscar Kathy Bates como a Senhora Delphine LaLaurie, que tortura e mata escravos para seu sangue e outras partes em uma vã tentativa de permanecer jovem para sempre, e Angela Bassett, perfeitamente caracterizada como a lendário praticante de vodu Marie Laveau, que existiu de verdade.

Séries | Resumo de American Horror Story: Coven | S03E01 - Bitchcraft

O “Coven”: Fiona, Madison, Nan, Zoe e Queenie

Não tenho dúvidas que a série brincará com os elementos da vida real, e eu gostei da maneira como eles estão incorporando o real com elementos fictícios, principalmente na forma como eles fizeram com os julgamentos das bruxas de Salem, mencionando “Mercy” Osborne, que era uma pessoa que realmente existiu no mundo real (na verdade o nome é Sarah Osborne).

É muito cedo para dizer se eu gosto desta temporada mais do que as anteriores da série, mas eu aprecio o enredo relativamente simplificado. Uma das minhas queixas, e de muitos críticos, sobre a última temporada foi a de que eles tem tinham muita coisa acontecendo ao mesmo tempo, era quase impossível acompanhar tudo de forma verdadeiramente satisfatória . Quero dizer, não me interpretem mal, eu gostei no geral, mas a abordagem “jogando tudo na cara” era um pouco demais às vezes, fazendo com que a temporada como um todo, ficasse um pouco confusa.

Ryan Murphy parece ter escutado o que a crítica disse a respeito, e eu acho sábio da parte dele. Já temos muito para nos manter interessados ​​e ocupados por uma temporada inteira. Até agora, eu estou gostando da personagem de Jessica Lange. Como sempre, o criador Ryan Murphy e companhia dão-lhe um papel que ela pode realmente trabalhar. Adorei o clima de ódio entre ela e sua filha. E a cena dela “sorvendo” a vida do pobre infeliz?

Um outro ponto da narrativa que terá impacto no restante da temporada foi quando a  personagem de Emma Roberts virou o ônibus depois de ter sido estuprada por alguns garotos de fraternidade. Embora, você acha que uma bruxa saberia melhor como aceitar uma bebida de um cara desses em primeiro lugar. Com o “acidente” quase todos os estudantes morreram, menos duas pessoas, incluindo o sujeito que organizou o estupro, que sobreviveu apenas para ser estuprado por Zoe … até a morte. Caramba! Estas bruxas não brincam em serviço. “Bitchcraft,” de fato. Elas podiam, porém, ter salvado o pobre Kyle, que foi o únido que realmente ajudou a parar com o estupro. Mas essa deve ser a entrada do jovem para o mundo das bruxas. Uma espécie de Frankenstein, talvez?

Até agora, tudo bem. Considero esse início de temporada muito bom, e estou com os meus polegares para cima em sinal de aprovação, a julgar pela pré-visualização da temporada. Foi uma estreia sólida, e eu acho que a abordagem mais direta é um bom presságio.

O que você achou de “American Horror Story: Coven” até agora? Você gosta da abordagem mais direta? Você está curtindo sobre os personagens? Você já tem um favorito? Diga na seção de comentários e eu os vejo na próxima semana!

Séries | Resumo de American Horror Story: Coven | S03E01 – Bitchcraft

Séries | Resumo de American Horror Story: Coven | S03E01 – Bitchcraft. Em seu retorno a série apresentou, já em seu primeiro episódio a que veio. Uma fotografia absurdamente linda e eficaz, uma direção precisa e uma trama bizarra, chocante e com cenas escatológicas. Elementos que já vimos antes nas temporadas anteriores da série, mas …

Nossas Notas

Nota do episódio:

Dê sua nota: 4.13 ( 2 votes)
80

Sobre Leo Araújo

As palavras dos profetas estão escritas nas paredes do metrô e nos corredores das casas... E as artes estão impressas nas cores, sons e pessoas dos lugares por onde andei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top