Notícias
Capa » Cinema » Crítica | Resenha do filme Carrie – A Estranha
Crítica | Resenha do filme Carrie – A Estranha

Crítica | Resenha do filme Carrie – A Estranha

Crítica | Resenha do filme Carrie – A Estranha. O livro foi o primeiro romance publicado de Stephen King, lançado em 1974, e conta a história de uma adolescente com poderes telecinéticos, filha de uma mãe religiosa  opressora, que é atormentada quando menstrua pela primeira vez no colégio e então é humilhada pelos colegas, o que desperta a sua fúria. A versão mais …

Nossas Notas

Direção
Atores
Fotografia / Cenografia
Efeitos especiais / maquiagem / som

Ruim

Resumo: Enfadonho, repetitivo e sem identidade

Dê sua nota: 3.3 ( 4 votes)
43

Crítica | Resenha do filme Carrie – A Estranha. O livro foi o primeiro romance publicado de Stephen King, lançado em 1974, e conta a história de uma adolescente com poderes telecinéticos, filha de uma mãe religiosa  opressora, que é atormentada quando menstrua pela primeira vez no colégio e então é humilhada pelos colegas, o que desperta a sua fúria.

A versão mais famosa de uma adaptação do Livro de Stephen King  é Carrie, filme de 1976, com direção de Brian De Palma, que tinha no papel principal Sissy Spacek.

Crítica | Resenha do filme Carrie – A Estranha

Cena do filme

É inevitável a comparação entre o filme de 1976 e este de 2013. Principalmente porque a diretora Kimberly Peirce (Meninos não Choram) decidiu  respeitar até demais a obra dirigida por Brian De Palma. São cenas, sequencias e até mesmo diálogos que foram literalmente repetidos do filme de 1976. O filme, assim como o livro, tem como cerne o desabrochar de uma adolescente para o amor e para a sexualidade. Quando suas experiências dão terrivelmente errado, ela parte para o revanche contra todos os que lhe feriram, fisicamente, emocionalmente ou psicologicamente. A diferença é que Carrie tem poderes, e os usa.

No livro de  Stephen King, Carrieta (sim, esse é seu nome) desperta seus poderes gradativamente, e sempre com muito medo do que eles sejam, ou pior, de onde venham. Ela testa seus novos poderes, mas sempre se controlando, até a festa de formatura, quando ela já não suporta e explode em violência. Sissy Spacek deu uma tonalidade toda especial à sua Carrie. Ela parecia se mover em transe, bem diferente da Carrie de Chloë Grace Moretz. E foi aqui que o filme me perdeu. A jovem atriz é uma grande revelação, fez muito sucesso com os filmes Kick-Ass, mas ainda está amadurecendo. E foi verdadeiramente ridículo a forma, a expressão e os gestos que ela executa quando manifesta seus poderes no baile. Forçou demais a barra. Demais.

Crítica | Resenha do filme Carrie – A Estranha

Cena do filme

Direção:
Kimberly Peirce limitou-se a repetir o filme de 76, não trouxe nada de novo e não cumpriu a promessa deste filme ser mais fiel ao livro do que o dirigido por Brian De Palma. O filme perde o ritmo proposto várias vezes, e a narrativa se torna cansativa.

Atores:
Carrie de Chloë Grace Moretz não convence como Carrie. Nem quando ela está na escola se descobrindo, nem quando se enfurece. Já a veterana atriz Julianne Moore sustenta bem a psicótica fanática mãe de Carrie. Pena que parece estar “engessada” por uma direção limitada.

Fotografia / Cenografia:
Se removermos as novidades tecnológicas, temos uma repetição enfadonha do filme mais antigo. A diferença é que o filme de 76 possui identidade, e esse de 2013 não. Brian De Palma construiu bem toda a ansiedade antes e durante a cena do banho de sangue. Porém nesta nova versão não somos surpreendidos em nenhum momento.

Efeitos especiais / maquiagem / som:
Incrivelmente, mesmo com toda a dificuldade técnica em 1976 a maquiagem daquela época era mais impressionante (dificuldades porque o “sangue” secava em segundos na pele da atriz Sissy Spacek, que necessitava de constantes reaplicações da substância). Algumas cenas são bem feitas, por exemplo quando Carrie pára o carro de Chris e seu namorado. A cena é bem feita. E só

Resumo:
Uma pena. Esperava bem mais de uma nova versão do que foi apresentado. É uma repetição da trama, nada mais. Os atores, com exceção de Julianne Moore, aquém do que se espera deles. Enfadonho, repetitivo e sem identidade, esses são os adjetivos da nova versão de Carrie – A Estranha.

Sinopse de Carrie – A Estranha (Carrie): Carrie retrata um grande desastre ocorrido na cidade americana de Chamberlain, Maine, destruída pela jovem Carietta White. Nos anos anteriores à tragédia, a adolescente foi oprimida pela sua mãe, Margaret, uma fanática religiosa. Além dos maus tratos em casa, Carrie também sofria com o abuso dos colegas de escola, que nunca compreenderam sua aparência, nem seu comportamento. Um dia, quando a jovem menstrua pela primeira, ela se desespera e acredita esta morrendo, por nunca ter conversado sobre o tema em casa. Mais uma vez, ela é ridicularizada pelas garotas do colégio. Aos poucos, ela descobre que possui estranhos poderes telecinéticos, que se manifestam durante sua festa de formatura, quando os jovens mais populares da escola humilham Carrie diante de todos.

Ficha técnica de Carrie – A Estranha (Carrie):
Ano: 2013
Duração: 100 minutos
Gênero: Terror
Direção: Kimberly Peirce
Roteiro: Roberto Aguirre-Sacasa
Elenco: Alex Russell, Ansel Elgort, Chloë Grace Moretz, Connor Price, Cynthia Preston, Gabriella Wilde, Judy Greer, Julianne Moore, Karissa Strain, Katie Strain, Kim Roberts, Kyle Mac, Kyle MacLachian, Lucy DeLaat, Max Topplin, Michelle Nolden, Mouna Traoré, Nykeem Provo, Philip Nozuka, Portia Doubleday, Samantha Weinstein, Skyler Wexler, William MacDonald, Zoë Belkin
Produção: Kevin Misher
Site: www.sonypictures.com/movies/carrie

Crítica | Resenha do filme Carrie – A Estranha

Poster do filme Carrie – A Estranha

Crítica | Resenha do filme Carrie – A Estranha

Sobre Leo Araújo

As palavras dos profetas estão escritas nas paredes do metrô e nos corredores das casas... E as artes estão impressas nas cores, sons e pessoas dos lugares por onde andei.

13 comentários

  1. NOOOOOSSA NAO CONCORDO NEM UM POUCO COM RELAÇÃO A CHLOË, ELA É UMA ÓTIMA ATRIZ!! CARA, UM DOS MELHORES PAPÉIS DELA… E NÃO É A TOA QUE DEPOIS DAS ÓTIMAS CRITICAS QUE ELA RECEBEU, POR CRÍTICOS RENOMADOS NOS ESTADOS UNIDOS, ELA ACABOU SENDO CHAMADA PARA VÁRIOS OUTROS NOVOS TRABALHOS. TEM ATÉ UMA REPORTAGEM NA REVISTA HOLLYWOOD ONDE O TÍTULO DA REPORTAGEM É: "CHLOË MORETZ IS ABOUT TO TAKE OVER THE WORLD"! NA MINHA OPINIAO… ELA É UMA DAS MELHORES NOVAS ATRIZES DESSES ULTIMOS TEMPOS. PRA PROVAR ISSO ASSITA: KICK ASS 1 E 2 E VC VERA O LADO BADASS DA ATRIZ, ASSISTA HUGO CABRET E VC VERA O LADO FOFO COM SOTAQUE INGLÊS DA ATRIZ, VEJA LET ME IN E VERÁ O LADO SOMBRIO DA ATRIZ…. CARRIE, É SÓ MAIS UM PAPEL QUE VOCES NAO SOUBERAM INTERPRETAR
    É CLARO QUE TUDO ISSO É SOBRE MINHA OPINIAO… RESPEITO A SUA! :)

    • Olá Nicole! Desculpa, mas eu não afirmei que a Chloë é uma atriz sem talento. Inclusive eu afirmo que “A jovem atriz é uma grande revelação, fez muito sucesso com os filmes Kick-Ass, mas ainda está amadurecendo.”
      O fato de estar amadurecendo não implica em ser, digamos, “ruim”.
      E eu atribui, e muito, a culpa à direção confusa.
      Por exemplo, o talento de Julianne Moore é incontestável, mas não conseguiu se sobressair devido a, como eu disse, “…estar “engessada” por uma direção limitada.
      Abraços e Volte sempre! :D

  2. Não assisti essa nova versão, mas pretendo ver em breve. Você afirma que o filme não é tão fiel ao livro quanto a diretora prometeu (não sei se você leu o livro, isso fica subentendido), mas a versão do Brian de Palma também não é. Além disso, acho um pouco demais assistir um remake e esperar surpresas, ainda mais se tratando de um filme conhecido como esse. Pelo que percebi o problema é a direção (Chloë Grace Moretz caricata e Julianne Moore engessada), talvez alguém com mais familiaridade com gênero…Chego a conclusão que a gente só assiste essas refilmagem pra passar raiva: se fazem igual, reclamamos, se mudam muito reclamamos…

    • Olá, Alexandre. Eu realmente li o livro e as duas versões tem sim diferenças quanto à obra literária. A questão é que a diretora afirmou que faria algo diferente, mais focado no livro, e isso não aconteceu. Não aconteceu em nenhuma das versões.
      E você está certo. Refilmagens são complicadíssimas.
      Obrigado pelo comentário!

      Volte sempre que quiser! Abraços :D

      • Quem agradece sou eu por você perder algum tempo me respondendo. E insisto: se ela queria fazer algo diferente porque não filmar um roteiro inédito ou cumprir a promessa, certo? Boa noite e mais um vez obrigado!

  3. Olá Nicole! Desculpa, mas eu não afirmei que a Chloë é uma atriz sem talento. Inclusive eu afirmo que “A jovem atriz é uma grande revelação, fez muito sucesso com os filmes Kick-Ass, mas ainda está amadurecendo.”
    O fato de estar amadurecendo não implica em ser, digamos, “ruim”.
    E eu atribui, e muito, a culpa à direção confusa.
    Por exemplo, o talento de Julianne Moore é incontestável, mas não conseguiu se sobressair devido a, como eu disse, “…estar “engessada” por uma direção limitada.
    Obrigado pelo comentário pontual, abraços e Volte sempre! :D

  4. Olá, Alexandre. Eu realmente li o livro e as duas versões tem sim diferenças quanto à obra literária. A questão é que a diretora afirmou que faria algo diferente, mais focado no livro, e isso não aconteceu. Não aconteceu em nenhuma das versões.
    E você está certo. Refilmagens são complicadíssimas.
    Obrigado pelo comentário!
    Volte sempre que quiser! Abraços :D

  5. Ahhh agora entendo!! Acho que Chloë terá um ótimo futuro a sua frente.
    Com relação a Juliane Moore, eu acho que ela estar "engessada" deve-se ao fato de que faz parte do papel dela. Não sei se entende mas, uma mãe que está aterrorizada com sua filha que pode estar possuida pelo demonio. Juliane Moore é uma baita atriz, mas concordo com voce ao dizer que ela deixou a desejar.
    E por último, a direção. Concordo plenamente que a direção não foi nada excepcional ao fazer um REMAKE de um filme que foi praticamente fiel ao primeiro, sem ao menos levar em consideração que eles usaram de base o primeiro filme e não o livro. Eu tive a impressão de que eles fizeram o primeiro filme de novo, só que com atores melhores! hahaha
    Valeu pela resposta!

  6. Nicole, concordo! O mesmo filme, com atores melhores. Isso com certeza. :D
    Abraços, e obrigado a você por compartilhar a sua opinião conosco. :D

  7. Quem agradece sou eu por você perder algum tempo me respondendo. E insisto: se ela queria fazer algo diferente porque não filmar um roteiro inédito ou cumprir a promessa, certo? Boa noite e mais um vez obrigado!

  8. Alexandre Marcus, a pergunta é: porque não utilizar um roteiro inédito? Pois é, essa é a pergunta de um milhão de reais.
    E sou eu quem agradece pela visita e pelo ótimo comentário. Abraços e boa noite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top