Notícias
Capa » Cinema » Crítica | Resenha do filme Somos o que Somos – We Are What We Are
Crítica | Resenha do filme Somos o que Somos – We Are What We Are

Crítica | Resenha do filme Somos o que Somos – We Are What We Are

Crítica | Resenha do filme Somos o que Somos – We Are What We Are. Na cidadezinha onde Franck Parker mora com sua família, todos o conhecem por sua descrição. Após a súbita morte da mãe, as adolescentes Iris e Rose ficam encarregadas de cuidar do irmão mais novo, Rory. Com novas responsabilidades, elas são obrigadas …

Nossas Notas

Direção
Atores
Fotografia / Cenografia
Efeitos especiais / maquiagem / som

Ruim

Resumo: Não assusta, não é polêmico e nem impressiona.

Dê sua nota: Be the first one !
43

Crítica | Resenha do filme Somos o que Somos – We Are What We Are. Na cidadezinha onde Franck Parker mora com sua família, todos o conhecem por sua descrição.

Após a súbita morte da mãe, as adolescentes Iris e Rose ficam encarregadas de cuidar do irmão mais novo, Rory.

Com novas responsabilidades, elas são obrigadas a aceitar o forte temperamento do pai, que deseja manter os costumes familiares. Quando uma tempestade atinge a região, seus segredos são ameaçados pelas investigações das autoridades locais.

O filme é um remake hollywoodiano do filme de terror mexicano Somos lo que Hay, do ano de 2010.

Crítica | Resenha do filme Somos o que Somos - We Are What We Are

O  filme Somos o que Somos (We Are What We Are) apresenta, desde o seu início, uma tentativa de construção de um suspense opressor e polêmico. Mas ao mesmo tempo ele tenta gerar uma discussão moralista entre as personagens Iris e Rose. E esse é um dos problemas do longa: tentar vários estilos e discussões ao mesmo tempo mas com um ritmo lento demais. O diretor Jim Mickle tem a boa intenção de gerar apreensão, mas sem sucesso. A história é ótima, mas o roteiro de Jim Mickle, Jorge Michel Grau e Nick Damici não conseguiu dar o tom certo.

A trama do filme é como aqueles quebra-cabeças difíceis de encontrar as peças certas, nos encaixes corretos. E isso no pior sentido da palavra. As pistas e as deixas na narrativa são postas ou no lugar ou no tempo errado. São vários fatores que são apresentados: um ritual de passagem, uma tradição familiar sinistra, o confronto ideológico entre o certo e errado das duas jovens irmãs e a revelação desse segredo obscuro. Mas tudo é feito muito superficialmente.

Crítica | Resenha do filme Somos o que Somos - We Are What We Are

Na verdade, parece que a produção foi idealizada para impressionar em festivais. Há uma nítida preocupação com a fotografia e com a cenografia. É possível perceber isso na maneira com que a câmera é sempre simétrica em seu enquadramento. Mas percebemos que o diretor se perdeu em meio a uma colagem de filmes, em meio a um mar de referências, ficando assim sem identidade e pior, sem uma trama objetiva.

Crítica | Resenha do filme Somos o que Somos - We Are What We Are

Direção:
Este não é o primeiro filme de horror de Jim Mickle. Antes ele já havia tentado com Anoitecer Violento (Stake Land), um terror gore com uma salada de referências. Mas em Somos o que Somos (We Are What We Are) ele tenta fazer algo, digamos mais cult, e fracassa.

Atores:
O ator Bill Sage está terrível no papel do pai desesperado por manter a tradição e o segredo da família. Nada que ele tenta no personagem funciona, nem mesmo as mil caretas. As jovens atrizes Ambyr Childers e Julia Garner não comprometem, mas também não ajudam em nada. O destaque fica com a presença de Kelly McGillis, a eterna Charlie Blackwood de Top Gun: Ases Indomáveis.

Fotografia / Cenografia:
Este é um dos elementos que não estragam o filme. A fotografia é muito boa, principalmente nos ambientes escuros da casa da família. A cenografia também funciona bem, criando o ambiente propício para o terror.

Efeitos especiais / maquiagem / som:
O segundo elemento que se apresenta decentemente no longa. Nada de extraordinário, mas bem feito, com capricho.

Resumo:
Somos o que Somos (We Are What We Are) fracassa como terror e como suspense ao não mostrar uma narrativa consistente com a trama. Não assusta, não é polêmico e nem impressiona. Em sua uma hora e 45 minutos de duração o sentimento que ele mais evoca é o sono.

Sinopse de Somos o que Somos (We Are What We Are): Na vila onde Franck Parker mora, todos o conhecem por sua descrição. Após a súbita morte da mãe, as adolescentes Iris e Rose ficam encarregadas de cuidar do irmão mais novo, Rory. Com novas responsabilidades, elas são obrigadas a aceitar o forte temperamento do pai, que deseja manter os costumes familiares. Quando uma tempestade atinge a região, seus segredos são ameaçados pelas investigações das autoridades locais.

Ficha técnica de Somos o que Somos (We Are What We Are):
Ano: 2013
Duração: 105 minutos
Gênero: Drama
Direção: Jim Mickle
Roteiro: Jim Mickle, Jorge Michel Grau, Nick Damici
Elenco: Ambyr Childers, Annemarie Lawless, Bill Sage, Jack Gore, Joel Nagle, Julia Garner, Kassie Wesley DePaiva, Kelly McGillis, Larry Fessenden, Laurent Rejto, Michael Parks, Nat DeWolf, Nick Damici, Odeya Rush, Traci Hovel, Vonia Arslanian, Wyatt Russell
Produção: Andrew Corkin, Rodrigo Bellott
Fotografia: Ryan Samul
Site: www.facebook.com/WeAreWhatWeAreFilm

Crítica | Resenha do filme Somos o que Somos - We Are What We Are

Crítica | Resenha do filme Somos o que Somos – We Are What We Are

Sobre Leo Araújo

As palavras dos profetas estão escritas nas paredes do metrô e nos corredores das casas... E as artes estão impressas nas cores, sons e pessoas dos lugares por onde andei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top